Não estou para falar de amor, se ele ainda não dói, nem rói e nem pede flor. Não há flores na minha poesia, pois as arrancadas são mortas, são decoração de sepultura e meu poema é heresia. Conheço esse tal de amor, não encontrei deus algum e amor e deus até podem ser compatíveis mas não dependem um do outro. O único ponto em comum: eles não são invencíveis. Não falarei de coisas que desconheço, pois o meu apreço é pelo amor que sinto e não devo a uma criatura que o senso comum insinua e minha cabeça não atura. Minha escrita é a riqueza que colho do meu presente, mesmo que seja inventado, pois poeta mente, mas não se faz ausente e eu não vivo de passado nem me dedico à tristeza. Só quando fico parado. Grito contra o que abomino e não suporto determinismo. Minha ferramenta é o poema e meu alvo é o sistema. Sou tipo existencialista, meio insano meio analista, falso moralista, talvez sartreano. Tenho a marca da história, todo gaúcho é artista e sou pampeano com muita honra e glória. Sou amigo da filosofia e esta não é feita de fadas nem gnomos e crenças, nem de almas penadas ou universais desavenças. Eu vim aqui escrever poesia e isso para mim não é só brincadeira, pois no fim o que consome energia é o abre e fecha da porta da geladeira

Cárcere Curitiba 6

Cárcere Curitiba 6

Circundavam calçada, centenas criaturas com camisetas coloradas, confeccionadas com cara chapada criatura chamada Che. Comunistas coordenados conclamavam cizânia, clamavam como carneiros: "Calamar candidato" "Calamar candidato", carregando cartazes com caricatura Calamar Cachaceiro. Criaturas com cútis coloridas, confinadas conduziam cartazes condizentes com "conservar cotas" "coordenados contra corfobia" "Calamar comprometido contra corfobia", clamavam consideração. Criaturas com corpos comuns chacoalhavam colhões, chacoalhavam chibil, cu, considerando comover comunidade contra chavascofobia, contra caralhofobia, contra cacofonia, contra coxinhas, contra Comandante Coiso, contra capitalismo. Criaturas cagavam chão calçada conclamando cruzada contra cufobia.

----------
Calamar Cachaceiro chegou Casa Causídicos Civis Criminais conduzido com corporação. Calçava charmosa caneleira circuitada. Carregava cantil com café conjugado com cachaça cinquenteum.

---------
-Calamar Cachaceiro conhece condição como considerar continuar calado, conquanto converse concordará com coisas contra Calamar Cachaceiro consideradas como confissão?

-Claro, Causídica. Calamar Cachaceiro corresponde criatura com considerável condição comunitária, colocou crianças colégio, construiu cisterna, combateu corrupção conquanto comandante central.

-Calado, criatura. Converse conforme convidado.

-Credo, cumpanhera Causídica!

-Concorda com compra chácara com cash corrupto, com conveniência concessionária construtora?

-Cumpanhera Causídica, Calamar Cachaceiro confere com criatura cujo comportamento condiz com coerência, conseguiu crédito, carentes compraram carro. Chácara comprada com construtora corresponde contrato construtora concessionária com cumpanhera Cadáver, contudo, Calamar considera contrato compra chácara como coisa construída com coxinhas.

-Considero Calamar Cachaceiro culpado cumprir condenação calçando caneleira circuitada, contudo, convém continuar convivendo capital centroeste, coabitando casa com crias, com condicionador climático, com cafezinho, cachacinha, churrasquinho, com celular, computador, calçando chinelas com cuecão, chambre, chamuscando charutos conseguidos com Castro.

wasil sacharuk


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS