Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

o que o teu coração quer

o que o teu coração quer

procuro-te no ar
asas de passarinho
amor de menino
carinho e suor
meu dedo na ponta
do teu nariz

teu olhar ingênuo
sorri divertido
nos teus cabelos
perco meus dedos
deslizam fáceis
tal lágrimas de felicidade

faças então
o que teu coração quer
ele não é escravo
de um amor que abusa
e reclama
deixa ele tirar
a tua blusa
e dizer que te ama

e essa minha vontade
que grita na carne
de saber o segredo
de um suspiro qualquer

deliras na dança
da união dos teus mares
e dos dons incontáveis
que te fazem mulher

faças então
o que teu coração quer
prende com cravos
minha alma suja
na tua cama
e me deixa gozar
no teu olhar de coruja
na tua pele cigana

wasil sacharuk


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS