Maria das Dores

Maria das Dores

desata-te das dores
Maria
expulsa a amargura
para longe do barraco

se amor não tem poesia
só pode ser simulacro
a vida não deve ser dura
o brilho não deve ser fraco

inventa outro dia
Maria
de um amor singular

amor que ocupa espaços
amor que dança
amor companhia
que conduz os teus passos

depois canta
o tanto que pode ser vasto
o mesmo amor que te mata
é o que estende o braço
onde vais descansar

wasil sacharuk
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS