Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

Oráculo



Oráculo

os búzios são conchas da sorte
e eles trazem mensagens do mar
não há clareza sequer evidência
só confiança na clarividência

a borra de café pode falar
a quem sabe ler o seu recorte
e antecipar do destino o aporte
mas das agruras não pode salvar

aquecer óleos de perfumaria
não vai destravar a sina do dia
mas pode soltar aromas no ar
fazer a cor da aura mais forte

quiçá a divindade se importe
com o incenso aos pés a queimar
questões complexas à cartomancia
respostas tratadas com diplomacia

a quiromante manda espalmar
sabe o dia e a hora da morte
os enredos as dores os cortes
sugere oferendas num alguidar

antever o destino pelas profecias
atende ao desejo das vidas vazias
é preciso coragem para continuar
ainda que a bússola oculte o norte

wasil sacharuk
oraculo
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS