Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

Incubação

Incubação

Agora falo sobre campos verdes
não são tão longe da nossa casa
a cidade sem vida só tem paredes
e corpos jogados em cova rasa

Poeta se voa é pássaro na rede
morre na clausura ou vira caça
no fogo das letras mata a sede
a semente do verbo traz na asa

E o versos?
ah! decerto virão das paixões
alguma verve ou musa
até da rotina e do ardil

Será, meus amigos,
que todo o poeta é senil?

Por hora são as vagas impressões
rabiscos tortos daquele que viu
florescer poesia no imenso vazio

wasil sacharuk

6a-shallow-grave-118366191
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS