Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

Coração dividido

Coração dividido

Não, não quero
Nem para ti, nem para mim
Um coração dividido
Entre a tristeza e o amor
Indivisível amor
Se me vens
Vens completo
Me queiras por inteira
Não só num momento
Não te peço para ser a primeira
Nem a última
Mas a companheira
Para a qual não mentirás
Não guardarás segredos
Nem tristezas
A qual saberá ser teu porto
Teu corpo
Teu sentido por inteiro
Cuidarei das tuas feridas
Mas por favor não me ofereças
Tuas migalhas, tuas palavras
Se não me sobra espaço em teu coração
Se não me vens com sofreguidão
Posso cuidar do teu coração ferido
Dar para tua vida um novo sentido
Mas não suportarei um coração dividido

Não, não espero
Mais de ti, nem de mim
Um coração repartido
ora espinho ora flor
em dois sentidos
Se me tens
Tens completa
E me comas inteira
Me faças repleta
Não quero só brincadeira
Nem só os riscos
Quero ser a parceira
Para quem contarás
Os teus segredos
As tuas safadezas

Posso cuidar do teu coração ferido
Dar para tua vida um novo sentido
Mas não suportarei um coração dividido

Maria Ligia Caviglioni & Wasil Sacharuk


25463723_1626980094025396_1206477320_n


25488935_1626980737358665_1148389352_n

poeta Maria Ligia Caviglioni

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS