Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

Poesia de graça

Poesia de graça

Das mulheres
és a única que quero
única que não posso querer
mas talvez algum dia

Danielas, Sofias, Macabéas
Gilcinéias, Estelas, Bias
Marias, Andréias e Poesias

listar substantivos próprios
de gênero feminino
é artifício consagrado
que ninguém mais atura
pois é puta chavão
nos meandres da literatura

mas dá algum resultado
até com rimas em "ão"

Das mulheres
és a única que quero
única que não posso querer
mas talvez algum dia

Julianas, Cibeles, Berenices
Alices, Francieles, Fabianas
Anas, Grazieles e Poesias

tomei minha cachaça
logo após meiodia
sentei no banco da praça
para ler a poesia
que tem na internet de graça

e digo assim, numa boa
hoje eu li o Fernando Pessoa
mas prefiro o Bento Calaça

wasil sacharuk

Foto0511
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS