Amor meu


Amor meu
puxa a cadeira
senta ao meu lado
fala do dia agitado
do colega, do chefe
sei que o dia
foi sobremaneira

vem, amor
fala qualquer besteira
não fica calado

Amor meu
há cerveja na geladeira
sobrou frango assado
do almoço
está tanto insosso
e também mal passado
mas muito gostoso

Amor meu
você é formoso
até quando cansado
seu corpo suado
inspira brincadeira

Amor meu
puxa a cadeira
e continua sentado
eu me lanço inteira
de joelhos dobrados.

wasil sacharuk

Seus sais

Seus sais

Sinto salgados
seu suor
seu sêmem
sua saliva

secretas
sabores solares

sou somente
sua serva
sorvo seus sais
sem segredos

sei sanar
seus sentidos
sabores servidos
sonhos sexuais

sei sumir
seu sabre
saborosamente
sem sacrifícios.

wasil sacharuk

Segredos de polichinelo

Segredos de polichinelo

forjados
mudos inertes
desprezos
e ironias
na cabeça do martelo

cravos paralelos
perfilam versos 
de poesia
e invioláveis segredos
de polichinelo.

wasil sacharuk

Refrão desenfreado



Refrão desenfreado

menina
agora sossega
teus pelos estããão
       tão eriçaaaaados

cada qual do seu lado
apontando a lua
e tu bela
   e nuuua

sentada à jane-e-la

do aviããã-ã-ão

menina
não deixa o refrão
          desenfreaaado

eu que estive acordado
entendendo a razãããão
dos teus pecaaados

cada qual do seu lado
andando nas ruas
       mais escuuuras

da minha cida-a-de...

na contramãããoo

menina
se eu digo que não
     estou erraaado

eu que estive acordado
encondendo a razãããão
dos meus pecaaados

cada qual do seu lado
ofertando a cura
      e eu na amarguuura

enchendo a tela
da televisã-ã-ão...

Wasil Sacharuk

Eutanásia

Eutanásia

A ti eu abri uma porta
e somente isso importa
já que pedias passagem
desliguei os botões
mandei o ar dos pulmões
soprarem as asas
na leveza da viagem
para tua nova morada

Joguei-te à própria sorte
no golpe do último corte
soltei a tua ancoragem
e baixei a pressão
que forçava o teu coração
a bater sem palavras
sem ritmo e sem emoção
bater a troco de nada

E por um momento
acreditei
aliviar ao teu sofrimento
e também ao meu
talvez disseste amém
talvez eu disse adeus

wasil sacharuk


Sétimo


Sétimo

Dos rústicos sentidos
desde os despertos
aos adormecidos
há um sétimo
tão cáustico
e drástico
do qual eu não sei

sou apenas humano
portanto, uma lástima
tal os outros
para servir de consolo
vivo de enganos
e estou sujeito às leis
dos tolos

algum sentido me faz absorto
em tom grave circunflexo
entre insights desconexos
penso falar com os mortos
monologar a minha loucura

palavras surgem obscuras
não sei se são híbridas
sequer se são puras
provém dos desígnios da noite
e relatos de bruxas

desfilam versos sem roupa
na poesia mais tímida
ou na prosa mais dura
na dor do sétimo açoite
a cortar o dorso da lua

ouço pitonisas loucas
reescrevendo o curso da vida
com promessas de cura
com mensagens urgentes
e nuas

(o sétimo carece sentido)

se solta um grito retido
que suplica pelo lume
ou qualquer sabedoria
serão apenas queixumes
no hades da poesia

wasil sacharuk

Ágape

Ágape

Andava ainda assim: altiva
alma aérea
a alimentar anjos astrais

abrupta
avançava ares

angulosa
alavancava as avenidas
a alimentar almas assassinas

abdicava as amizades
aspirava ao amor
algum amor
ah!

Ágape acreditava
áries ascendente áries
astuta, auspiciosa
alto astral!

amor às antigas?
ah ah ah ah

alcunha: Amanda,
a Avassaladora

astuta artista
acessível
altamente acessível

acenava
acintosamente
abordava alguém
assim... alguém
aleatória
almejava algo anônimo

atestava acordos amorosos

afoita
adentrava alcovas
apagava abajures
abria as alças
abraçava apaixonada
acariciava

abrasante
atirava-se ao amor animal
acoplada

Amanda, acesa, ardente
abaulava as ancas
arqueava abundante
ajoelhada
abocanhava

arrebatadora
afim... adentrada

assimilava
até abarrotar
abençoada
ao amor abreviado
a alma absoluta
alma abastecida

assistia ao amante
abafado
abatido
aspirações aceleradas
aturdido
abusado

Amanda alimentada

acabado!

avião aterrisava

Ágape agradecia

wasil sacharuk

Untitled-1

Fragmentos de um sistema qualquer

Dia desses vi um filósofo 
chorando lágrimas de inexatidão 
sentado na pedra encravada 
solitária no meio do lago
pensava perdido no nada
mas o nada não era vago

cismava fagulhas lastimosas 
do desencanto com a razão
 viveu uma paixão viciosa
com a incerteza dos fatos

Eis que o hiato 
entre o filósofo e o poeta 
é o reduto encantado
onde o fogo insano se aquieta
numa rima pobre.

Poeminha mecânico

Ah! Sim, eu penso por mim
por mim que portanto penso
não lavo de choro meu lenço
tampouco acredito num fim

repenso em como pensar
para aprender com os erros
os cheiros ruins dos desterros
e os barcos que vi naufragar

logo, cogito ergo sum
reviro a fração de um poema
sei fragmentar um sistema
transmuto o um em nenhum

aprendi a pensar a emoção
e chorar lágrimas de poesia
mas me perco da estrela guia
se sonego o valor da razão

wasil sacharuk


Poema do Fogo

Poema do Fogo

Hoje queimo a matéria no fogo
a matéria é o pão
é decerto as tiranias

disfarçadas democracias
o corpo enseja a competição
ei poeta, louco
qual seu lugar nesse jogo?

raiva, medo
uma mancha no pulmão
taquicardias, esquizofrenias
desveladas rebeldias
ataques no coração

caricatura das manias
das angústias, agonias
o poeta não é demagogo
e vai vomitar emoção
hoje o dia é da destruição

ei poeta, louco
hoje queimo a matéria no fogo!

wasil sacharuk

Tsunami



Tsunami

eu quis inventar a canção
mas eu tive medo
e quis te prender na prisão
não era mais do que farsa

essa sina oferta
tantas certezas escassas
e hoje acordo mais cedo
para ver se o sol me abraça

manterei a casa aberta
enquanto a chuva não passa
beberei cada pingo do chão
num tsunami que se alastra

wasil sacharuk

Automático

Automático

Tango
e retângulo
algo estilístico
de plástico
encontrei no meu drama
uma letra de samba
um nó na garganta
dolorido e drástico

falei no pé o momento
tasquei no incremento
movimentos elásticos

Samba não é tango
o último é mais performático
nem toda dança é fandango
nem todo tom é enfático

fiz dos versos lamento
e dancei todo tempo
no modo automático

wasil sacharuk

12040874124b577f771977a
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS