Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

A princesa molhadinha do sul

A princesa molhadinha do sul

o frio daqui é tão frio
e o calor é calor
o amor daqui é tal rio
a cor daqui é sem cor

mas nem toda água é de mágoa
nem toda lágrima é dor
nem toda poça tem lama
nem todo chão nasce flor

o inferno aqui é sombrio
o céu daqui é o terror
o fogo daqui é pavio
e tudo aqui é um bolor.

Wasil Sacharuk

Foto de F. A. Vidal

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS