Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

Ambição e dispêndio

Ambição e dispêndio

Ser humano é asco
vergonha da espécie
sem nenhum cuidado
traz destruição
ao meio ambiente

na água que morre
no céu que escurece
no chão que se abre
no vento que cresce

matas e incêndios
tornados e mares
pessoas morrendo
em vários lugares

Ser humano é tosco
artífice da peste
bicho egocentrado
tem religião
e se acha gente

no rebento que berra
na promessa celeste
no consumo da terra
na razão inconteste

ambição e dispêndio
tragédia nos lares
ambição crescendo
metanois pelos ares

Dhenova & Wasil Sacharuk

Dhenova

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS