Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

Página rasgada

Página rasgada

Quando uma página em branco
foi drasticamente arrancada
do livro do meu destino
se fez meu cruel desatino

Senti minha vida podada
nem um tampouco ou entanto
desaparecida sob um manto
tal uma história roubada

Ouvi do som o desafino
do meu norte em desalinho
no desvio da rota ultrajada
descontrole e desencanto

Pois tenho andado tanto
conto os passos na estrada
e tento criar um sentido
que não me deixe perdido

Se a sina me leva ao nada
vazio de um triste recanto
talvez seja a vida buscando
aquela página rasgada

wasil sacharuk

DSCF6466
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS