Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

O Grito da Ave Negra no Céu

O Grito da Ave Negra no Céu

Eu senti o tempo breve e inconstante
recolocar no dedo o anel de diamante
eu ouvi o grito da ave negra no céu
e um arrepio turvou o lago de mel

Eu vi o vento organizar nova vida
amanhecer mais cedo da noite perdida
eu bebi da fonte a cor da energia
e fui transportada ao colo da poesia

Eu fiz do agora a busca e a meta
pequei quando quis ter às avessas
Eu quis a cura e fui tola e incerta

Eu joguei na vida todas as promessas
tive o arco-íris quando estive quieta
eu achei amor no instante sem pressa.

Dhenova & Wasil Sacharuk

Dhenova

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS