Sabes, Amora, eu deveria pensar em não chover mais em ti, mas isso não importa se usas guardachuva. Amora, não tenho capa sequer uso luvas, saíram de moda. E se te incomoda tu te apartas dos pingos da chuva, te resguardas no abrigo se minha chuva te molha. Mas vai, vai Amora, leva a cadeira e teu maldito guardachuva, senta lá fora sem roupas. Mas naquela hora, amada Amora, eu bem sei que tu ficas louca se eu mergulho nos teus olhos em cântaros. Amora, vejo sóis se chovo em tua boca.

Ponte para o retiro



Ponte para o retiro

Quero cruzar pela ponte
que interliga horizontes
leva ao céu tal escada
enrosca na crosta do mundo
lá no fim disso tudo

lá encontro o início do nada

quero andar sobre estradas
asfaltos vielas e trilhos
verei sedentários e andarilhos
pelos cantos das ruas
sob a lanterna da lua
a mente resignada

quero a alma elevadiça
a visão privilegiada
para enxergar a injustiça
as mentiras e a cobiça
e a dignidade ultrajada

decerto já vi tudo antes

quero montar elefantes
e apagar as pegadas
gravadas pelos caminhos
para evitar emboscadas
dos espíritos dissonantes

e trilhar o universo sozinho

wasil sacharuk

Imagem: Sonho Causado Pelo Voo De Uma Abelha Ao Redor De Uma Romã Um Segundo Antes De Acordar, Salvador Dalí, 1944
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS