De botânica não entendo

De botânica não entendo

na velha orquídea
prevalecem cem anos
insistem primaveras
brotam dezessete
ou então vinte três
lilases amores

no meu quintal
germinam sementes
flores mágicas
contra existência enfadonha

na velha orquídea
poesia do amor
sabedoria dos tempos

pouco sei das orquídeas
de botânica não entendo
mas também acho vida
quando mudam os ventos

wasil sacharuk

CYMERA_20140913_135039