Engano

Engano

inocente eu pensava
que o poeta via coisas
do mundo das fadas
e dos quintos infernais
coisas que reles mortais 
não poderiam ver

imaginava que descrevia
sentimentos do seu objeto
traduzido em versos
de poesia

que capturava
tons e cores
amores e imagens
descrevia sabores
de sentimentos vivos

e eu que pensava
que os olhos fechavam
para ver as paisagens
e  abriam
para saber os motivos.

wasil sacharuk