Coisa que já não dói

Coisa que já não dói

Aprendi a ler solidão, bebê
pois a mim
é coisa que já não dói

quando menino era só
com meus pequenos objetos
que viraram pó
e deram vida aos dejetos
da vida simplória
que não nos deixa optar

mas, meu bebê
um preço se pode pagar
como nas longas estórias
de príncipes mocorongos
e mocinhas habilidosas

enquanto isso, borrifa
as dálias rosadas
da minha velha colcha
com vinho tinto seco

e logo cedo
livra-te das roupas
te retrates à solidão.

wasil sacharuk