Amor-abandono

Amor-abandono

Mulher, me tenhas
no teu berço de essência
abandonado em teus seios
donde ausculto segredos

sintas o rasgo da dor
a pintura sem cor
o adorno dos medos
que me perseguem
e sempre renegues
minhas ciências
desprovidas de ser
meras penitências
razões para crer

mulher, tenhas certeza
compreendas os anseios
e as minhas carências
boba esperança
de poder sempre  ter
teu amor esquisito
diluído em desvelos

e, aos teus cabelos
tentarei novas tranças
delicadeza das tramas
fragmentos de um rito
imbuído de amor.

wasil sacharuk