Seara

Gotas salgadas

Gotas salgadas

danço
os poros da pele
tão leve
o encanto
entorta grades
da prisão

danço a milonga
ritual com veneno
de escorpião
e despenco exausto
na leveza do chão

danço ao corpo
monumento
a espargir
texturas e cores
harmonias aromas
e odores

danço na noite
que verte
essência e verve
em gotas salgadas.

wasil sacharuk