Sombras gasosas

Sombras gasosas

Meus versos de emboscadas
respiram nas nebulosas
bebem o leite das vias
viajam no espaço poesia

meus versos sem rosas
movem coisas paradas
param coisas movidas
misturados às prosas

meus versos acendem dias
nas imbatíveis porfias
são fugitivos das trovas
trevas da noite calada

meus versos são derrocada
cascata de rimas leprosas
galáxia de estrelas vadias
das dores da afta e azia

meus versos de veias nervosas
assaltam à mão armada
poeiras que não dizem nada
sinapses de sombras gasosas.

wasil sacharuk