Ciranda dos braços



Ciranda dos braços

Poetas cantam
ciranda dos braços
quando luzes de versos
envolvem o espaço

Quando há poesia
são curtos os laços
cruzados convexos
por todos os lados

Poemas refletem
destinos emoldurados
nas mãos que se cruzam
num signo encantado

Das divinas mãos dos poetas
entrelaçam incertas
um amor desvelado.

Wasil Sacharuk