Seara

Entorpecente

Entorpecente

-Rezaste?
-Não!
-Fizeste o quê, então?
-Sabes, Santidade, a Sininho...
-Opa, esqueças essas ideias pagãs.
-Ela é fada!
-Cala-te, menino, respeita-me!
-Não é isso... é a magia... aquele pó.
-Pó?
-Sim, pó.
-Que pó, baixinho?
-Pirlimpimpim, eu acho
-Isso é droga.
-Não, é pó... pó mágico... brilhante.
-Se é mágico, deve ser entorpecente.
-Padre! É a Sininho...
-Menino, não mistures mulheres fadas com pó mágico... isso tem aspecto de vício.
-Não é isso, Santidade!
-Dez padres nossos, com a pureza do coração. Peças absolvição e afasta-te das drogas.

Wasil Sacharuk