Seara

Rio Oceano



Rio Oceano

Se sobrevoo o rio
martim das asas azuis
da linha da vida o risco
do norte até o sul
costura rasgos sombrios

então oferto às águas
todas as coisas que sou

percorro córregos mansos
pelos teus recantos
até beber um oceano
vertido sobre teus olhos

Se sobrevoo o rio
uma ave intrusa
de asas que não encolhem
nem sequer sob a chuva
que se queda por nós

então oferto às águas
todas as coisas que sou

percorro as tuas rotas
por todos cantos
até beber um oceano
vertido sobre teus olhos.

Wasil Sacharuk

Sobre a cama


Tela: Jean Benner

Sobre a cama

No dia em que eu acordar
coberto de águas azuis
com teu olhar diamante
presente
na fronte

jogarás sobre a cama
a minha fotografia

Se eu acordar algum dia
e não enredar tuas tramas
meus olhos fechados
não verão
nenhuma mágoa

eu vou sentir as águas
lavarem enganos
deixarei ao oceano
as minhas amarras

eu vou pedir às águas
perdão pelos danos
deixarei ao oceano
o meu intento

no dia em que eu acordar
e não sentir o vento
a lua, o sol, o chão
choverá um lamento
numa canção
que te chama

e jogarás sobre a cama
a minha poesia

eu vou sentir as águas
lavarem enganos
deixarei ao oceano
as minhas amarras

eu vou pedir às águas
perdão pelos danos
deixarei ao oceano
o meu intento.

Wasil Sacharuk

Mais que um momento



Mais que um momento

percorro as noites
pelas ruas
meus caminhos incertos

percorro erros
percorro acertos
me perco sob as luas

e do lado de fora

do lado de fora
sei que o sol só brilha
a quem sabe beber chuvas

apenas a quem tenta

linda tu és mais
que um momento
me fizeste grande
me fizeste homem

linda tu és mais
que um momento

és meu tempo inteiro

linda tu és mais
que um momento
és meu tempo inteiro

ooh-ooh-ooh

procuro as falhas
no desenho celeste
reorganizo as estrelas

desato as amarras
que me vestem
em busca do que sou

e do lado de fora

do lado de fora
sei que a força da terra
só floresce em versos

apenas a quem tenta

linda tu és mais
que um momento
me fizeste grande
me fizeste homem

linda tu és mais
que um momento
és o  meu tempo inteiro

e do lado de fora

do lado de fora
um sentido desordeiro
se derrama em versos

apenas a quem tenta.

Wasil Sacharuk

A sapiência dos sapos

Ilustração: Piliero Adesivos

A sapiência dos sapos

perguntes ao sapo
acerca do que sabe
e ele dirá:

nada, nada, nada

a sapiência dos sapos
ensina a nadar
entender o alarido
nas águas turvas
do lago dos girinos

lá, onde o vento
não faz curva
mas ensina
a romper oceanos

Lamento
amigo destino
se não tracei planos
à minha sina.

Wasil Sacharuk

Autofake



Autofake

sou autofake de mim
e por fim
eu sou eu por si só

então uso pó
botox e photoshop
eu quero ser pop
e ficar bem bonito
o último grito
da moda

meu autofake é foda
e eu amo my selfie.

Wasil Sacharuk

Nos anais

Nos anais

Reger o continente depravado
É missão de sinistros animais,
Assassinos, ladrões e generais,
No parlamento esplêndido do Estado!

Organizam discípulos desleais...
A vil conspiração do Consulado
Por homens de respeito invalidado
Em quartéis, ministérios, catedrais

São bestas que figuram nos anais
Presidentes, senadores, deputados
E os juízes, assessores e cardeais

E o povo indolente e seviciado
Dá de costas, de frente e de lado
E vez por outra ainda pede mais.

David Moura &; Wasil Sacharuk


Sabes...

Sabes...

gosto de ti
deliciosa
e toda
das formas que és

trazes a rosa
para o vento beijar

te gosto assim
quando te pões a soprar
despencar pétalas
em verso e em prosa
sobre as águas do mar

donde chegas sereia
a rabiscar movimentos
com raios de lua cheia

e tu danças
serpenteias
venenosa
depois cantas
fazes das letras
doces cirandas
para rodar
em volta da casa

tua canção desanda
as minhas tristezas
se me mandas deitar
ao teu colo

enquanto me encantas
com indecorosas
delicadezas.

Wasil Sacharuk