Vértice


Vértice

Sei das esferas
tatuadas morenas
que se escondem
no teu céu violeta
a circundar as quimeras

e tuas pernas
se erguem ligeiras
e perfazem
um ângulo agudo
que calculo
setenta ou oitenta

nesse inverno
faz frio quando venta
e nuvens passageiras
me distraem
do meu mundo confuso
meus castelos de areia

e tuas pernas
se erguem ligeiras
e indicam
os meridianos
dos meus fusos

e perfazem
um ângulo agudo
no vértice dos versos.

Wasil Sacharuk