Seara

Quando ouviste da vida o chamado



Quando ouviste da vida o chamado

Invadiste poços profundos
que te seduzem
com águas bem doces
e teus braços
tão escassos
golpearam
as águas do nada
tal açoites

te fizeste poesia
sintonia fina
entre as águas atrevidas
fizeste ferida
para sangrar a matéria
transmutada deletéria

tu fizeste profecias
aprendeste a nadar
sem chão e sem ar
para entender as misérias
das vidas.

Wasil Sacharuk