Bruxuleante

Bruxuleante

O dia saltou para a noite
num pulo de gato
sorrateiro e peralta
interesseiro e ingrato

Não sei porque salta
mas que salta
é fato!

Quem vê gato preto
sai em desabalada corrida
a despistar o passo lento
que amaldiçoa essa sorte

Antes que morra 
o vivente
de morte morrida
que não seja indiferente
e corra da morte
e não morra
durante a corrida

Bater as botas
é como perder
um pacote de tolas quimeras
o pior é não ter bolas
e nem capacidade
para levar vida dura

E ter de acender tantas velas
No meio da noite escura.

Wasil Sacharuk