Vigília

Vigília

No inverno
prevalece o silêncio
noites abandonadas
bocas caladas

acendo o incenso
o aroma queimado
toma o escuro imenso
enquanto penso
repenso
executo a vigília

preencho de vida a ilha
no momento
nas sombra da poesia
pela noite vazia

o movimento
o intento
olho fechado na utopia
e o outro atento
vigia

wasil sacharuk

17d5af8953e3a48c2983acc95cdcab31

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS