Algumas pobrezas me enojam


Algumas pobrezas me enojam

Sabes, não quero ser pobre
do humor que rege o espírito
jamais falte a inteligência
e que me sobrem argumentos

E por isso queimo na febre
que regenera os princípios
que recolhi da ciência
na esteira dos tempos

Qualquer coisa não serve
quero nutrir os meus vícios
honrar minhas preferências
e distribuir meus inventos

Mas algumas pobrezas me enojam
não é a sujeira das comunidades
não a comida que servem às mesas
ou a fraqueza das nossas certezas
sequer a iminência das calamidades

Algumas pobrezas me enojam
são as que dissipam a personalidade
de falsas faces que saem à francesa
das mentiras que inventam verdade
e dos viventes que inventam pobreza

Certas pobrezas me enojam
e nem por isso eu sou nobre
contudo persigo as minhas riquezas
em versos francos de rimas pobres.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas