Prefácio

Prefácio

Fazer um prefácio
não é fácil
é algo que prende no lastro
tal algo
tanto falso

eis que se abriu cadafalso
entre laços entre laços
nos requebros dos meus rastros
a poetar alabastros
entre a claustrofobia 
e o espaço
e depois servir no antepasto
um pouco de pão com poesia

ai quem me dera um dia
eu cair nos teus braços
depois que juras bandeira
em meu mastro
a bolinar brincadeiras
a arrebentar os esgaços
fazer rasgos
tal quem rasga
a folha da alface
num disfarce
sensual e macabro

e quem me dera eu abro
o meu rabo
a um dedo de poesia
daquelas
que me convence
e ainda pense o que pense
sem eurekas e sem cautela
a segurar o candelabro
enquanto queima a vela

se bem que fazer um prefácio
não é fácil
é algo que prende no lastro
tal algo
tanto falso.

Wasil Sacharuk

Algumas pobrezas me enojam


Algumas pobrezas me enojam

Sabes, não quero ser pobre
do humor que rege o espírito
jamais falte a inteligência
e que me sobrem argumentos

E por isso queimo na febre
que regenera os princípios
que recolhi da ciência
na esteira dos tempos

Qualquer coisa não serve
quero nutrir os meus vícios
honrar minhas preferências
e distribuir meus inventos

Mas algumas pobrezas me enojam
não é a sujeira das comunidades
não a comida que servem às mesas
ou a fraqueza das nossas certezas
sequer a iminência das calamidades

Algumas pobrezas me enojam
são as que dissipam a personalidade
de falsas faces que saem à francesa
das mentiras que inventam verdade
e dos viventes que inventam pobreza

Certas pobrezas me enojam
e nem por isso eu sou nobre
contudo persigo as minhas riquezas
em versos francos de rimas pobres.

Wasil Sacharuk

E se for pecado? (recitado por Dani Maiolo)


video
recitado por Dani Maiolo


E se for pecado?

Dos pecados não me arrependo
sou desobediente
ovelha infiel
o avesso do crente

Me faço purificado
não sou o criador
nem manipulador
do motor imóvel
adulterado

Nenhum pecado confesso
não sou penitente
minha água benta é ardente
mantenho meus vícios
meus ofícios
meus artifícios
a reza de trás para frente
no rosário de uma serpente

E gosto de dinheiro, muito
de boa comida
da vida bebida
algum excesso...
algum descontrole...

E continuo irado
depravado
odiado
rancoroso
raivoso
luxurioso
preguiçoso
nada caprichoso
soberbo...
implacavelmente soberbo

Qual beato abençoado
me fará dizimado
por uma ameaça ridícula
de um medo infundado?

E se for pecado?
Não é problema meu...
me sinto agraciado
por tudo que a vida me deu.

Wasil Sacharuk


Três Macaquinhos


foto: Dan R. Dick
Três Macaquinhos

Você não vê
as marcas do escarcéu
condena ateu e incréu
não, você não vê
nem eu

e nunca sabe
quando fudeu
entrega tudo a deus
que também nada sabe
muito menos, eu

E você que não ouve
sussurros nesse bordel
os argumentos do réu
não, você não ouve
tal eu

daí não entende
o que aconteceu
no inferno e no céu
que nunca se entendem
menos ainda, eu

E ainda você que não fala
nunca foi a Babel
em pleno apogeu
não, você não fala
sequer falo eu.

wasil sacharuk

e-book "ACRÓSTICOS" - Wasil Sacharuk


Águas Claras

Ah, se as marés são das luas
Gelarás bem coesa em cristais
Utópicas moléculas espúrias
Águas sujas em mananciais
Sequestradas na boca das ruas

Claras não são sempre as águas
Lacrimais vertentes de oceanos
Águas que empurram as mágoas
Rompendo ribeirões pelos canos
Assim que somente deságuas
Seus correntes instintos insanos.


E-book “Acrósticos”, de Wasil Sacharuk
R$ 6,66
73 páginas
receba diretamente em seu e-mail


Dhenova & Wasil Sacharuk - Almas Aladas full album

Eu levei quase dois anos para concluir esse projeto. Sem esperanças e, também, sem qualquer estresse. Mas, digo que esse foi o trabalho artístico que me proporcionou mais satisfação e, ao mesmo tempo, mais me emocionou. A poesia de Dhenova sempre foi repleta de significados intensos para mim e, as que compõem esse projeto, foram esgotadas pelo meu envolvimento e rendição. Entendo perfeitamente que a proposta apresentada pela minha parceria de quase uma década com Dhenova, envolvendo sua linda poesia com a minha estranha música, soa de forma inusitada e, até, insuportável para uma escuta habituada ao corriqueiro, no entanto, afirmo que, depois de finalizar esse projeto, sinto satisfeito meu empreendimento artístico, a despeito de qualquer consideração ou crítica. E já posso morrer em paz e feliz.


Doces Lábios de Sereia


Doces Lábios de Sereia

E lá está a sereia
Com seus olhos-querubins 
A invadir meu peito
Com a leveza de jasmins

Andei aos confins
Para conhecer seu jeito
Cantora de rabo perfeito
And puffy nipples twins

Neste mar me jogo
Afoito, me afogo
A força da maré é fogo
Levou-me a outro mundo-jogo

Neste chão me arrasto
Exausto, me gasto
Me entubo, me mastro
Repasto sobre a areia

De bobo, caio na teia
Sem saber voltar de Bóbus
Como quebrar o encanto da abóbora?
Quem mandou acreditar que real seria?

De tolo, quero a fantasia
Para encontrar a fórmula
Da geometria dos cubos
Nos meus versos místicos

São doces rios seus lábios
Sem ser sábio saí no polo sul
Fui otário se fugi do sol
Encantado de luz e som.

Ateu Poeta & Wasil Sacharuk

Rainha do Diamantinos

Rainha do Diamantinos

Noite passada
perdi o prumo
perdi o rumo
perdi o tino

Sonhei que sonhava
sonhei que dançava
pela madrugada
uma musiquinha
com a linda rainha
do clube diamantinos

Ela era minha sina
ela era menina
ela era poesia
ela era fantasia
do Evandro de Castro Lima.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas