patrocinador

Wasil Sacharuk - Véu do Mistério



Véu do Mistério 

Despencadas brumas 
das cúmplices estrelas 
luz de lua e velas 
falseadas penumbras 
sob o véu do mistério 

Do olhar do abutre 
o auspício 
o precipício 
a virgem 
o ébrio 
vida e vertigem 
morte e remédio 

Suplicas mudas 
palavras pela janela 
das teclas à tela 
minúcias absurdas 
riscadas no espelho 

Essa lida nutre 
um vício 
pelo ofício 
da linguagem 
caso sério 
de vida e coragem 
de morte e silêncio. 

Wasil Sacharuk

O medo da travessia das ruas



O medo da travessia das ruas

Ouço vozes
as mesmas que ouvias
revisitando passados
de herois e algozes
e das bruxarias

tuas mãos sem segredos
seguram as minhas
no dia abençoado
por um sol de poesia

sinto ainda teu abraço
atávico laço
doce e apertado
amor desvelado

sinto aquele medo
o mesmo que sentias
nos ciclos da lua
da travessia das ruas
na rota dos desenredos

talvez seja cedo
para perfurar o espaço
riscar o tempo num traço
e ter contigo outro dia.

Wasil Sacharuk


ao meu pai

Quo vadis


Quo vadis

Quero saber de ti 
o que cantas 
com quem andas 
aonde vais  

Não choramingo meus ais 
sequer escrevo uma carta
sobre a saudade que mata
e o nó que não ata
nunca mais

Deixo para trás
as ciências exatas
as premissas mais chatas
verdades universais

Pretendo nada demais
apenas a medida certa
onde a cabeça não esquenta
além dos níveis normais

Quero saber de ti
o que cantas
com quem andas
aonde vais

E apenas falar contigo
algumas palavras banais..

Wasil Sacharuk