O Passo Ingrato e o Desejo Casto

O Passo Ingrato e o Desejo Casto

Quando a lua faz o momento
antitempo
procuro o espaço exato
recomendo a fúria no ato

A luz na rua de cimento
e o vento
a pressa e o passo ingrato
ao som do salto do meu sapato

Quando o sol ilumina a escuridão
devoção
encontro o desejo casto
e sinto a beleza do gosto

Os raios que rasgam a imensidão
sensação
perdida num mundo tão vasto
eu sinto o calor no meu rosto

Quando a lua...
repenso, remanejo, teso

A luz da rua...
o lenço, o desejo, o peso

Quando o sol...
escolho, abarco, vejo, espelho

Os raios...
o olho, o marco, o lampejo, o brilho.

Dhenova & Wasil Sacharuk