O poiso dos meus colibrios


O poiso dos meus colibrios

Beijar tuas flores sem bris
foi isso que sempre eu quis
assim fiz fraquejar calafrios
e poisar sobre ti os colibrios

Beber do teu néctar no céu
com margaridas e flordemel
vermelhas, rosadas, cordelis
desamores incolores e anis

Na secura de um galho senil
espinhei meu poema sombrio
a esperar os teus versos gentis

De seiva e de tronco e de fel
e de pólen espargido em papel
me fizeste deixar de ser gris.

wasil sacharuk

Inspiraturas