WASIL E SUA POESIA, por Decimar Biagini

WASIL E SUA POESIA

São quantas andanças
todos andaram, pode crer
Uns enchendo as panças
Outros sem ter o que comer

Rebati tuas poesias
Chamei alguns filhos
conheci algumas putinhas
Muitos foram os exílios
E juízes não me absolviam

Cueiros pandos
viventes pobres
Ricos e pançudos
Muitos foram os anos
Passaram-se meses absurdos
E a falta de vida em desenganos
Me levaram aos teus poemas profundos

Pois conheço e leio sua poesia
Faça sol ou chuva no ledo dia

Obrigado Wasil







Decimar Biagini

Inspiraturas