Canto da Invernada



Canto da Invernada

Se passa acolherando vidas
e aquerenciando a clausura
que se faz dessa invernada

e nem se espera mais nada
de qualquer patrão superior
ou de um loscanha estanciero

a lida tem sido tão dura
já passou tanto janeiro
o capataz anda abichornado
meio preso nos arreios

mas quem não se encanta
na perplexidade da lábia
que discursa o forneiro?

que manda um rasgo estridente
a irromper pela sesmaria
gritando para ver calmaria

E eu que sou peão velho
levanto os pelegos no pago
e toco reponte sem embargo

abro cancha ao meu filho
que alimente nosso tordilho
faça que o pingo ganhe asas
troteie bem longe das casas

que se dispare haragano
a traçar destino orelhano
e aprenda a saltar o aramado
sem ficar todo estropiado

abraço meu lindo guri
e peço que se vá a la cria
que recolute a minha poesia
para ler bem longe daqui

de regalo, leve meu coração
decantado em versos sulinos
para cantar tal um hino
dos piquetes desse rincão.

Wasil Sacharuk

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS