Sansão e Dalila

Sansão e Dalila

Sansão dormia enroscado
como uma serpentina
ao lado do pé de feijão
entre nuvens de alucinação

Conheceu a linda Dalila
cruzando um oceano quadrado
nadou trinta metros cravados
rasgando as águas da piscina

Sentiu uma forte vibração
nas fibras do seu coração
em Dalila ele viu sua sina
era tudo o que havia sonhado

Mas ela recusou seu chamado
foi ao congresso da esquina
convidar o amigo pastor alemão
para o torneio de natação

Sansão se entregou à raiva canina
e no hospital teve o pelo raspado
hoje ele come no prato virado
e bebe a água da latrina.

Wasil Sacharuk

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS