Para ver transcendências

Para ver transcendências

Agora eu consigo dormir
de olhos abertos
enquanto sombras noturnas
adornam minhas ideias
com roupas soturnas

de olhos abertos
agora eu sei onde ir
não tenho medo de cair
a correr desertos de areia
experimentar retrocessos

após naufragar nas escunas
em busca das minhas fortunas
de olhos abertos
e sem a luz da candeia
agora eu já sei dirigir

vejo a rota do karma fluir
de olhos abertos
agora preencho lacunas
e sei urdir uma teia
das minhas escusas

de olhos abertos
faço meu mundo ruir
para depois ressurgir
nos elos de uma cadeia
e na gravidez de outros versos.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas