Poesia Coitada

Poesia Coitada

Moro no bloco de gelo
onde certa poesia
esteve tentando colher
vestígios de sol

Colheu nada
a poesia coitada
não esperou derreter
formar um vasto lençol

não foi por desmazelo
sequer vontade vazia
a colheita negada
à poesia coitada

antes do anoitecer
nalgum lugar do planeta
sempre forma arrebol
sobre planícies geladas

mas não consegue aquecer
as margens da enseada
naquele frio que sustenta
gotas cristalizadas.

Wasil Sacharuk

Inspiraturas