TESTAMENTO DO POETA


TESTAMENTO DO POETA

Se a vida se complica
e eu não mais acordar
deixo minhas rimas ricas
ao poeta Decimar

E quanto às rimas pobres
eu já avisei a patroa
não valem nenhum cobre
nem rendem poesia boa

Tenho guardadas num cofre
mais de duas mil estrofes
para serem divididas
depois da minha partida

Deixo os versos insones
das noites de vinho e café
à poetisa Ordones
e à dupla de Andrés

E uns versos inacabados
a quem sabe e improvisa
uns motes bem inspirados
à poetisa Marisa

Que fiquem as outras crias
para a Ana e a Luciana
as prosas e as poesias
à comunidade nopeana

Se a coisa ficar preta
e eu for a bola sete
vou lá trocar uma letra
com a poetisa Janete.

Wasil Sacharuk

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS