No final do túnel deve haver alguma luz



No final do túnel deve haver alguma luz

Apaguei indícios
de histórias
de vidas
varri resquícios
desnutri as esperanças

A vida decerto é dança
aloprada 
e requebrada
levanta poeira
e afasta cadeiras
para os cantos da sala

E quando cala
 despede os vícios
a foda
a fauna 
e a flora
na última hora
isso tudo 
não vale nada

a alma esvaziada
se livra das lutas
do amor
do dinheiro
da dor
das putas
dos puteiros
para morrer
na contemplação

o que é a vida, então?

Wasil Sacharuk

Inspiraturas