patrocinador

E aí... meu santo?

E aí... meu santo?

Perdão, meu santo
de afazeres tão vastos
tu ouves tantos pedidos
até zumbir os ouvidos

Talvez aches nefasto
o som do meu canto
tem gosto de pranto
timbre ruidoso e gasto

Então, qual o lenitivo
a razão e o objetivo
dos prazeres escassos
e de tanto desencanto?

Talvez jogues teu manto
sobre a falta do repasto
pronuncies no imperativo
um verbo mais objetivo

Que envolva num laço
que nos livre do espanto
que quebre o quebranto
que descanse o cansaço.

Wasil Sacharuk