Destempero



Destempero 

Já nem sei se ando 
ou se a vida me anda 
vou saindo e entrando 
minha sina é quem manda 
vou cagando e andando 
que ela desencana 

Sei da sina sacana 
velhaca sacripanta 
vou catando bagana 
entoando meu mantra 
vivo a vida cigana 
qualquer recanto encanta 

Eu almoço a janta 
depois janto o almoço 
se a fome espanta 
eu encaro o osso 
e tranca na garganta 
se estiver meio insosso. 

Wasil Sacharuk