Mulher Vertigem



Mulher Vertigem 

Não te nomeio Melancia 
sequer pareces com Pera 
se acaso tu fosses fruta 
oferecida que nem puta 
ninguém ficava na espera 

Eu tentei riscar poesia 
antes de cair no porre 
quanto a mente matuta 
o demônio sai da gruta 
se embriaga depois morre 

Eu peço todos os dias 
favores da santa virgem 
ela nunca me escuta 
e me lança das alturas 
para os braços da vertigem. 

Wasil Sacharuk

Inspiraturas