patrocinador

Não era direito

Não era direito

Eu andava tão só
em meio a tua vida
dedicava os dias
a minha poesia
a uma princesa
de conto de fadas
ah, eu não poderia...

Eu te via assim
tão calada
a boca macia
eu era tua escrava
e te observava
não, não poderia...

Eu pensava quimeras
fazia secretos pedidos
me sentia esdrúxula
queria pular como fera
invadir teus sentidos
com artifícios de bruxa

Eu espiava pela fresta
queria provar o teu peito
entrar nos teus olhos
fazer em ti minha festa
não, não era direito

Eu queria ser tua
imaginava movimentos
das tuas mãos em mim
e me flagrava nua
lançada à sorte sem fim

Eu me fiz atrevida
sem sequer chegar perto
o intento era incerto
a vontade corrompida
e na minha culpa
o peso da volúpia

Eu queria tua ternura
tocar teus lindos cabelos
escutar o teu coração
provar a tua boca
dormir nos teus desvelos
e isso seria a cura
dessa aflição louca.

Wasil Sacharuk