Da Janela Virtual

Da Janela Virtual

Da janela virtual
Acompanho os dias
Sem cair na real
Sem sentir alegrias

Escrevi poesia
Com versos tristes
Com dedo em riste
Esqueci da magia

Da janela virtual
Contemplo o vazio
Faço poesia atual
E tomo meu vinho

E se faltar amor
que não me deixe
um arcoíris sem cor
ou água sem peixe

Da janela virtual
Debruçado
e sem esperança
Feito um animal
Angustiado
Da vida que cansa
Observo meu final
Sem ter boa lembrança.

Decimar Biagini e Wasil Sacharuk

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS