Sobre a responsabilidade do redator

Sobre a responsabilidade do redator

Contemporaneamente, há muitos escritores na internet. Alguns destes lêem pouco, ou nada, mas escrevem permanentemente em seus poemas, contos, apontamentos, chats etc. O escasso envolvimento com a leitura faz com que escrevam de forma incompetente e cometam equívocos fatais.

O principal argumento utilizado por muitos escritores da virtualidade, no intuito de fundamentar os erros, é o da despretensão em relação à própria escrita. Já "ouvi" dezenas de vezes, de um ou outro escritor, que não pretende mais do que a diversão que as postagens de suas obras proporcionam. Esses deveriam voltar a guardar suas obras nas gavetas.

A expressão escrita, quando tornada pública, demanda responsabilidade. Persistir nos desvios linguísticos é atitude inaceitável. O escritor precisa ter compromisso com a educação. Escritor que não almeja a correção não é digno de atenção.

O escritor precisa de uma relação criativa e íntima com sua língua materna, de modo a aprender a dar forma e controlar os efeitos da expressão escrita e da estética. Daí, a leitura dos textos de outros escritores deve ser uma atividade constante e de aprendizagem intensiva. É por meio da leitura que o escriba reconhece a multiplicidade de sutilezas e de explorações idiomáticas complexas.

Essa relação direta e livre com a leitura dos textos conduz à desmistificação cultural e da própria literatura. É no embate com as dificuldades, dúvidas, tentativas e erros que a estética textual reconhece a fruição necessária para a produção dos textos.

Escrever é tocar na instabilidade da procura, do reconhecimento e questionamento das próprias motivações. É isso que constitui a verdadeira natureza de uma peça artística.

Quantos bloqueios em relação à escrita não se devem à incompetência de leitura?


 

Wasil Sacharuk

Inspiraturas