Chama da Poesia


Chama da Poesia

Ando por esse mundo
Como uma teia que se tece
Eu não pedi o amor , ele veio lúcido
Na areia da praia me fortalece.

E no instante fecundo
Quando a areia me aquece
Sinto a chama do amor, ela vem plácida
A plenitude é como uma prece.

Você me queima em silêncio
Solidão antológica de amante e amada
transcende meus limites , meu equilíbrio
Energizada por sua sabedoria , flutuo hipnotizada.

Gaivotas lançam o auspício
Uma razão ilógica que brotou do nada
Supera meus palpites e o meu arbítreo
Apaixonada pela poesia, sinto-me renovada.


Ana Maria Marques & Wasil Sacharuk 

Inspiraturas