SONETO INTERNAUTA - PELOTAS E CRUZ ALTA

SONETO INTERNAUTA - PELOTAS E CRUZ ALTA

Poeta, na Princesa do Sul estou felicíssimo
Acolherando poemas o verbo cumpre seu ofício
Degradê de belezas entre o mínimo e o máximo
Algo entre céu e inferno, alcova ou hospício

Daqui de Cruz Alta, comuna de Érico veríssimo
Inspiração não falta, imunda o léxico soneto vício
O poeta internauta, ganha novo mérito, é ilustríssimo
A improvisação incauta, recebe crédito, é artifício

Solta na rede, a poesia tem novos brados retumbantes
E firmo o facão na amizade com o amigo sonetista
Viajo faceiro no encanto desses poemas elegantes

Nessa arte de juntar Poetas de comunas distantes
Nasce a amizade que rompe a tradição bairrista
Em toda parte, abraçar de artistas, lapidar de diamantes.

Wasil Sacharuk & Decimar Biagini
janeiro 2010

Inspiraturas