Soneto ao Amigo Sonetista

Soneto ao Amigo Sonetista

Meu querido amigo poeta sonetista
meu pago não goza de opulência
mas para matear com tal artista
escancaro a porteira da querência

De certo escreveríamos um livro
para registrar as nossas parcerias
e nem precisa passar pelo crivo
o improviso das nossas poesias

Falaremos das coisas do mundo
desse sistema sórdido imundo
não deixaremos de lado a emoção

Ao calor da costela na brasa
com o guaipeca na volta da casa
tomaremos caña e chimarrão.


Wasil Sacharuk
dezembro 2009

Esse site é apoiado por INSPIRATURAS