Meus Tons

Meus Tons
 
Algo em mim tem tom lúgubre
Caverna escura insalubre
Para guardar os meus eus

Também cintilo um tom vivo
Um certo calor radioativo
Retido sob os meus véus

Minha face é tão pálida
De melanina inválida
A clarear os meus céus

Meu sentimento é tão blue
Rústico, ríspido e cru
Matizes frios dos meus breus

Eu me dissolvo nas cores
Máscaras das minhas dores
Em tons que não são meus.

Wasil Sacharuk
abril 2009

Inspiraturas