Haragana


Haragana

Ah!, paisana
compreendo tua idolatria
e te perfaz o pensamento
riscar em prosa o rebento
disfarçado em poesia

Tão insana
pagas noites com dias
guacha de discernimento
costuras rimas com tento
e enfeitiças a utopia

Não te enganas
no rumo das cercanias
trocas o chão por cimento
da milonga fazes lamento
com letra xucra arredia

Como prenda haragana
no esteio das regalias
engarupada no vento
num trotezito mui lento
foste encontrar alegria.

Wasil Sacharuk
dezembro 2009

Inspiraturas