Churrasco

Churrasco

O chamado para a indiada
Um convite para os hermanos
O calor desprendido da brasa
E os guaipecas na volta da casa

Têm alemão e italianos serranos
E os índios da nossa invernada
E enquanto a carne é assada
Milongueamos com os castelhanos

E na amizade que não se defasa
Nem carancho se esconde na asa
O peão se distrai haragano
E acolhera a toda a tropeirada

E vai a trote na nossa cavalgada
Liberdade de qualquer orelhano
A costela que sempre repassa
Enquanto a paleta ainda assa

Misturada ao calor humano
A fumaça da lenha queimada
Afugenta qualquer desengano
E enaltece essa terra amada.

Wasil Sacharuk
abril 2009

Inspiraturas